Como escrever um texto otimizado para SEO?

Como escrever um texto otimizado para SEO?

Escrever um texto otimizado para SEO está ao alcance de qualquer pessoa. Contudo, não basta saber escrever, dominar a gramática e ter uma escrita apelativa. São competências essenciais, mas na era dos algoritmos torna-se necessário acrescentar ingredientes à fórmula.

É preciso saber escrever para a Web, porque não lemos uma publicação online da mesma forma que um livro.

Então, um artigo vencedor tem duas componentes:

1. Parte criativa

  • Uma história bem contada;
  • Informação relevante;
  • Temas novos ou abordagens originais.

2. Componente mais técnica

  • Pesquisa de palavras-chave.
  • Estrutura do texto;
  • Link Building.

Um texto otimizado para SEO é aquele que prende a audiência ao écrã e mantêm as pessoas no site.

Por outro lado, é também um texto que agrada aos motores de pesquisa – sobretudo o Google – porque respeita as boas práticas de SEO.

Este artigo foca-se no ponto 2, em regras simples para escrever um artigo otimizado para SEO, ou seja, que seja encontrado pela nossa audiência.

O que precisas saber para criar um texto otimizado para SEO

Escreve um bom título

É a primeira coisa que lemos e com base no título decidimos se queremos ler mais.

Um bom título deve ser:

  1. Apelativo e suscitar curiosidade;
  2. Resumir o conteúdo do artigo;
  3. Dirigido à nossa audiência.

No que ao SEO diz respeito, o mais importante é que a palavra-chave apareça no título (h1) e também logo no primeiro parágrafo do texto!

O título é também dos primeiros elementos de um página que os motores de busca rastreiam. Daí a importância de incluir a nossa palavra-chave.

Nem sempre é fácil escrever a abertura de um texto, repetindo as palavras do título. Aqui, o importante é não soar repetitivo. Fazer uma pergunta, por exemplo, pode ser uma boa estratégia.

Sugestão de ferramenta
  • Headline analyser da CoSchedule. Aproveitem também para ler toda a informação sobre como criar títulos poderosos (e, lá está, otimizados para SEO). Não tem análise para português, com muita pena minha. Eu costumo traduzir para inglês e testo variações do título até alcançar a melhor classificação.

Divide a informação por capítulos

Eu começo sempre por definir os headlines ou heading tags (h1, h2, h3, h4, etc.). São utilizados para destacar títulos e subtítulos numa página. Têm diferentes tamanhos e intensidades relacionados com a importância do conteúdo.

São os headlines que dão estrutura ao artigo e evitam uma mancha de texto que assusta qualquer leitor.

Uma boa estrutura facilita a leitura de um artigo. Torna-se mais fácil identificar num texto a informação que se procura.

Dica: começar por definir o título e os subtítulos também ajuda a estruturar o texto, a decidir a informação quer queremos incluir ou guardar para outra publicação,.

Heading Tags por ordem de importância

  • h1: título mais importante e com maior destaque no texto; é utilizado apenas uma vez e deve conter a palavra-chave.
  • h2: Segundo título mais relevante para o tema da publicação; é importante incluir variações da palavra-chave nestes subtítulos.
  • h3, h4 e h5 (…): devem ser utilizados para tornar a leitura do texto mais simples e ir guiando o leitor.

Exemplo (palavra-chave: software de gestão)

  • h1: 5 razões para investir num software de gestão
  • h2: Qual a importância de um ERP para a minha empresa?
  • h2: 5 benefícios de implementar um software de gestão

h3: vantagem nº1

h3: vantagem nº2

h3: vantagem nº4

(etc.)

Investe tempo na pesquisa de Palavras-chave

Antes de começar a escrever um artigo otimizado para SEO, a primeira coisa a fazer é a pesquisa de palavras-chave. É certo que deixei para último, mas apenas porque há tanto para falar sobre este tema, que merece várias publicações.

Qualquer campanha de marketing e produção de conteúdos deve focar-se na pesquisa de palavras-chave. O objetivo é descobrir o que a nossa audiência está à procura e o quão difícil será destacar o meu conteúdo na imensidão de textos online.

É através das palavras-chave que os potenciais clientes ou leitores vão encontrar os conteúdos que procuram. Quando abrimos uma página do Google e teclamos algo, esse “algo” é a palavra-chave que escolhemos que chegar a determinado artigo.

Deve escolher-se uma palavra-chave principal e variantes da mesma. Neste sentido, as ferramentas online – que veremos já de seguida – são uma grande ajuda.

Tipos de palavras-chave que podes escolher

Existem três tipos principais de palavras-chave:

  1. Head tail ou short tail;
  2. Mid tail
  3. Long tail

1. Short tail

Por exemplo, marketing. Normalmente, são constituídas por uma única palavra e são bastante abrangentes e generalistas. Torna-se difícil de competir pela atenção dos motores de busca.

2 e 3. Mid e Long tail

Por exemplo, marketing de conteúdo. Estamos a ser mais específicos. Não só pretendemos resultados ligados ao marketing, mas especificamente que se relacionem com o marketing de conteúdo.

As palavras-chave mid e long tail são menos competitivas. E podemos ser ainda mais concretos na nossa intenção.

Procuramos formação sobre a área? Procuramos profissionais ou agências? Se colocarmos “estratégias de marketing de conteúdo”, os resultados serão distintos. Neste ponto, é importante verificar se os resultados correspondem ao objetivo do nosso texto. Caso não seja, devemos rever a palavra-chave.


Quantas vezes deves repetir a palavra-chave?

O texto deve fluir de forma natural. É importante ir colocando a palavra-chave ao longo do artigo, mas de um modo que faça sentido. Caso contrário, o texto não será relevante.

Utilizo o plugin Yoast para ajudar a medir a densidade da palavra-passe nos meus artigos. Por norma, varia entre os 0,5% e os 2,5%.

Utilizar sinónimos ou variações da palavra-chave escolhida ajuda a evitar repetições. O importante é encontrar o equilíbrio.

O Google é inteligente e já consegue detetar textos em que a palavra-chave é utilizada de forma abusiva.

Ferramentas para pesquisa de palavras-chave

Existem plataformas gratuitas, como a ferramenta da Google, outras permitem uma pesquisa limitada a 5 palavras-chave.

Subscrever uma plataforma destas é caro, mas vale a pena. Sobretudo, se trabalhares na produção de conteúdos. Ou quiseres produzir textos e encontrar ideias para o blogue que sejam o mais aproximado possível do que a tua audiência procura.

O melhor de tudo é que algumas destas plataformas já permitem pesquisas em português, embora os resultados sempre muito fracos.

  1. Google Adwords Keyword Planner
  2. Uber Suggest
  3. KWFinder
  4. SEMrush
  5. Moz Keyword Explorer
  6. Answer the Public
  7. Keyword Tool

Conclusão

A componente criativa e as competências na escrita são fundamentais para escrever um bom conteúdo. Mas com tantos conteúdos na web a serem produzidos, todos os dias, torna-se necessário pensar sempre no SEO.

Há-que ter 3 coisas em mente: título (h1), estrutura do texto (h2, h3, etc.) e pesquisa de palavras-chave. Cumprindo estas 3 dicas básicas, o artigo será mais facilmente encontrado. Tanto pelos utilizadores, como pelos motores de pesquisa.

Depois, é manter um diálogo com o leitor ao longo do texto e não parecer um robot. Mas isso será tema para outro artigo.

Deixe uma resposta

Close Menu